Cientistas políticos e sociólogos de Macaé defendem programas para aproximar jovens à política

Publicado em 01/05/2021 Editoria: Geral
Vereadora Iza Vicente cria o Programa Embaixadores do Mandato, com o objetivo de levar a juventude para a política

Vereadora Iza Vicente cria o Programa Embaixadores do Mandato, com o objetivo de levar a juventude para a política

A renovação de vereadores na Câmara Municipal de Macaé, eleitos em novembro do ano passado, tem despertado, cada vez mais, o interesse da juventude em participar da política local. E isso é defendido por especialistas da cidade. De acordo com o cientista político, Júlio Boldrini, na maioria dos grandes movimentos da história contemporânea, os jovens protagonizaram a cena política. “Nos últimos anos, houve uma ‘deslegitimação’ da política como lugar principal da luta para melhorar a sociedade. Essa luta no campo político exige regras, ética e respeito. O debate político é feito de ideias claras e consistentes, mas, com o advento das redes sociais, a emoção tomou o lugar do debate sério e fundamentado e instalou uma avalanche de opiniões sem critérios e, muitas vezes, descolados da realidade”, ressaltou Boldrini.

Para ele, é de fundamental importância a criação de um projeto que aproxime o jovem do debate político, de caráter institucional e que permitirá que eles exercitem a prática do diálogo, como forma de alcançar mudanças e melhorias para a sua comunidade e sua realidade nacional. “Isso poderá estimular uma retomada da conscientização do jovem e seu engajamento em movimentos sociais, sem a manipulação que alguns adultos querem fazer”, observou.

Para a socióloga e professora do Nupem UFRJ Macaé, Giuliana Franco Leal, a política institucional, do Poder Executivo e Legislativo, atinge toda população, das crianças aos idosos, porque definem as regras, as condições econômicas, as estruturas de política, de educação, de saúde, entre outros. “São os aspectos em geral que atingem nossas vidas no cotidiano. Por isso, é extremamente importante, na formação dos jovens, como de todas as pessoas, as políticas públicas e tudo o que se define pelas leis”, ressaltou a socióloga e professora do Nupem.
Giuliana salientou que há várias maneiras de participar da política, sendo ela local, estadual ou nacional. “Ocupar cargos nas assembleias legislativas e no Poder Executivo são maneiras importantes. Os jovens ainda são exceção nesse mundo. Se formos traçar um perfil, os cargos políticos são ocupados por homens, brancos e mais velhos.

É importante sim que os jovens ocupem esses espaços, até para criar e levar demandas específicas, mas há outras formas de participação na política, além dessa específica, de ocupar cargos ou de colocar representantes no cargo Legislativo. Existem as participações em conselhos, que também são importantes. Por exemplo, na área ambiental, em Macaé, existe o Conselho de Meio Ambiente e Desenvolvimento do município e outros conselhos específicos, como por exemplo, da Unidade de Conservação. Algumas delas têm conselhos participativos, como tem no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. Os movimentos sociais também são formas de participação política. Eles constroem suas reivindicações como, por exemplo, o Movimento Estudantil, muito comum entre os jovens, ou em coletivo com demandas específicas, como Coletivos Feministas, LGTBQIA+, Negros, entre outros. É importante olharmos a participação política como possibilidades muito diversas, para além de simplesmente ocupar cargos no Legislativo, Executivo e do voto”, explicou. 

Em Macaé, a vereadora Iza Vicente (Rede) criou o Programa Embaixadores do Mandato, cuja ideia é trazer a juventude, por meio do seu mandato, para acompanhar as atividades de um vereador na Câmara Municipal. De acordo com a vereadora, por meio da iniciativa, os jovens poderão acompanhar o trabalho dos parlamentares, aprender como as proposições são elaboradas – indicações, projetos de lei e requerimentos – bem como acompanhar, de perto, o trabalho de fiscalização dos vereadores. “É uma oportunidade os jovens trazerem suas demandas como, por exemplo, mostrando as suas realidades, como o bairro onde residem. Isso é muito importante, porque poderão debater e apontar ações, por exemplo, para combater à desigualdade na juventude”, enfatizou a vereadora. Ainda segundo ela, a ideia, posteriormente, é estender o programa para mulheres e idosos.

Para participar do programa, os jovens de 18 a 29 anos devem se inscrever até este domingo, dia 02 de maio. A formação será gratuita e de participação voluntária. “O programa de formação cidadã será feito comigo e com minha equipe de assessores em uma carga horária de 30 horas. Serão sete encontros em que os voluntários terão experiência com política institucional, ampliação da rede de contatos e visibilidade no cenário local”, explicou Iza. Os jovens participantes terão a oportunidade de participar de formação continuada com a equipe de gabinete e receberão certificados em formação política e em ações voluntárias.

Para participar, é necessário gravar um vídeo de apresentação e preencher um formulário. Mais informações podem ser obtidas no Manual do Programa Embaixadores do Mandato, com link disponível nas redes sociais da vereadora.

› FONTE: RJ NEWS ONLINE (www.rjnewson.com.br)