RJ NEWS ONLINE
Cotação
RSS

Portadores de HIV/Aids não recebem imunização em Rio das Ostras

Publicado em 01/05/2021 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


O Governo Federal incluiu pessoas com o vírus HIV/Aids entre os grupos prioritários definidos para receber a vacina contra a Covid-19. A inserção ocorreu em uma nota técnica, no dia 30 de março, publicada no início de abril, atualizando o Programa Nacional de Imunização (PNI). Sendo assim, já podem receber as doses dos imunizantes, os pacientes que convivem com o vírus, com idade entre 18 e 59 anos.

Mas não foi isso o que aconteceu em Rio das Ostras na última quarta-feira, dia 28 de abril, conforme relatou o fotógrafo Elson Silva de Santana, de 33 anos, portador do vírus HIV. Ele estava marcado para receber a primeira dose da vacina na quarta-feira, no Serviço de Atendimento Especializado (SAE). Ao RJ News, ele explicou que chegando ao local agendado, dentro do horário, foi informado que a vacinação está sendo aplicada apenas em pessoas acima dos 60 anos. “Lá no SAE não está faltando vacina. Essas vacinas chegaram hoje (quarta-feira). Só que a responsável pela vacina informou que apenas as pessoas acima dos 60 anos de idade seriam vacinadas. Só que eu tive acesso à listagem das pessoas que receberam a imunização e somente nove atendiam aos requisitos. Ou seja, ficamos sem a vacina. Provavelmente, essas vacinas serão transferidas para outro lugar, porque o SAE não é um posto de vacinação, é um posto especializado que atende pessoas que vivem com HIV e AIDS”, declarou.

Ainda segundo Elson Silva, o restante das pessoas foi vacinado, porque estava dentro da idade para receber a imunização, outros não quiseram se vacinar. “Eu vi muita gente voltando sem vacinar, porque a ordem era vacinar pessoas acima dos 60 anos. Tinha gente lá com 55 anos e não consegui imuizar. Por lei, nós entramos nesta etapa da vacinação”, ressaltou Elson.

Na nota, o Ministério da Saúde diz que a medida segue “novas evidências científicas publicadas sobre o risco de desfechos negativos da Covid-19 em pessoas vivendo com HIV”. Desde janeiro, portadores do vírus já estavam incluídos na previsão de vacinação de pessoas com comorbidades, mas havia a exigência de testes de contagem de linfócitos T CD4 menor que 350. Com a publicação da nota, essa exigência caiu e todos os portadores do vírus HIV/Aids, na faixa etária entre 18 e 59 anos, têm o direito à vacina.

Para Elson, vacina tem, mas a burocracia não permite vacinar quem realmente precisa. “Neste caso, não existe prioridade. Eu não tenho mais de 60 anos, tenho 33, mas sou do grupo prioritário de pessoas vivendo com HIV ou Aids, que segundo informações, receberíamos a vacina”, declarou. Ainda de acordo com Elson, assim que o as pessoas que vivem com HIV ou Aids foram inseridas no grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização, as vacinas foram enviadas ao SAE. “A coordenação do local achou que poderia vacinar todo mundo. Só que quem levou a vacina informou que não poderia vacinar todo mundo, somente as pessoas acima dos 60 anos de idade.

Então, não tem critério, não tivemos prioridade. No dia em que receberíamos a vacina, nos solicitaram a apresentação dos nossos documentos, como CPF, RG e o cartão do SUS, informando ainda a data de nascimento e a sorologia, para encaminhar ao Ministério Público, devido às denúncias de fura fila e irregularidades. Marcaram comigo, para eu tomar a primeira dose na última quarta-feira, dia 28, e até queria registrar o momento com uma foto, porque é sim um momento histórico para gente. Tive a autorização para tirar a foto, mas achando que iria ser vacinado. No entanto, a moça que levou as vacinas falou e que não tem nada a ver com a unidade de saúde, informou que não era para vacinar pessoas abaixo dos 60 anos”, frisou.

O RJ News entrou em contato com a Prefeitura de Rio das Ostras para verificar o ocorrido. Em nota, o governo municipal informou que a vacinação dos pacientes imunossuprimidos aconteceu na última quarta-feira, dia 28, no Serviço de Assistência Especializada (SAE) unidade de referência para esses pacientes.

Ainda segundo a prefeitura, os pacientes estão sendo imunizados dentro da faixa etária de vacinação do município, que neste momento, atende pessoas de 60 anos ou mais com a vacina Astrazeneca/Fiocruz, respeitando as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. O Governo Municipal informou também que a partir da próxima semana realizará a vacinação, por faixa etária, agendada para esse grupo. O Executivo explicou que a secretaria municipal de Saúde trabalha com o quantitativo de doses de vacinas recebidas, conforme remessas da Secretaria de Estado de Saúde, não sendo possível montar calendário antecipado.
O RJ News entrou em contato com todos os municípios da área de abrangência do jornal, para   saber como está a vacinação das pessoas com HIV/Aids.

Macaé
Por meio de nota, a Prefeitura de Macaé informou que as pessoas que vivem com HIV pertencem ao grupo de “imunossuprimidos” na lista de comorbidades definida pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) e serão imunizados na segunda etapa da vacinação já definida pela secretaria municipal de Saúde, de acordo com os critérios: faixa etária a partir de 59 anos, que deverão apresentar laudo ou atestado médico com nome do paciente por extenso e indicativo da doença por extenso e com CID (Código Internacional de Doenças) ou receita/prescrição com a data a partir de janeiro de 2021.

Casimiro de Abreu
Também por meio de nota oficial, a Prefeitura de Casimiro de Abreu informou que este grupo já começou a ser vacinado no município, já que o grupo de pessoas com HIV/Aids pertence ao grupo prioritário com comorbidades.  Neste momento, os pacientes de 55 a 59 anos estão sendo imunizados com doses da vacina Astrazeneca.

Conceição de Macabu
A Prefeitura Municipal de Conceição de Macabu, por meio da secretaria municipal de Saúde, informou que ainda não foi iniciada a vacinação de pessoas com comorbidades.  A Prefeitura informou ainda que está aguardando o posicionamento do Estado e o envio de doses para esse grupo, para que seja iniciada a vacinação do mesmo.

Quissamã
Também por meio de nota, a Prefeitura de Quissamã informou que iniciou na última quinta-feira, dia 29, a vacinação contra a Covid-19 no grupo prioritário de pessoas com comorbidades, na faixa etária de 18 a 59 anos. Pela quantidade de vacinas da Astrazeneca/Oxford disponíveis, segundo a prefeitura, a Secretaria de Saúde planejou um cronograma seguindo as informações dos programas de saúde do município. Por isso, nos próximos dias, segundo a Prefeitura de Quissamã, serão imunizados os grupos de doença renal, oncologia, anemia falciforme, obesidade mórbida e síndrome de down. Com o Ministério da Saúde entregando mais doses da vacina, a Prefeitura de Quissamã informou que vai avançando em outros grupos de comorbidades.

Carapebus
A Prefeitura de Carapebus informou que na próxima semana iniciará a vacinação do grupo prioritário de pessoas com comorbidades. De acordo com o Governo Municipal, essa população será atendida gradativamente, de acordo com o quantitativo de doses existentes e que recebe do Estado.

› FONTE: RJ NEWS ONLINE (www.rjnewson.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário