RJ NEWS ONLINE
Cotação
RSS

Educação Especial de Macaé será destaque em seminário em Friburgo

Publicado em 16/07/2014 Editoria: Educação sem comentários Comente! Imprimir


O trabalho da Coordenadoria de Educação Especial da rede municipal será um dos destaques do Seminário de Educação Especial de Nova Friburgo. A programação, desenvolvida pelo Ministério da Educação (MEC) e que vai acontecer entre os próximos  dias 21 a 25, no Hotel Bucsky, em Nova Friburgo, contará com educadores e gestores de municípios das regiões Serrana, Noroeste e Baixada Litorânea. Além de apresentar o trabalho do setor, a equipe também vai compartilhar as experiências do Atendimento Educacional Especializado (AEE) no ensino de Macaé.

Entre os enfoques que serão abordados estão as atividades desenvolvidas pela equipe, cursos específicos de formação continuada para educadores e auxiliares de serviços escolares, acompanhamento pedagógico para as unidades municipal com e sem salas de recursos multifuncionais, além de atendimento do programa federal Escola Acessível.

Hoje, a rede municipal conta com  45 salas de recursos multifuncionais, que têm equipamentos de informática, mobiliários, materiais pedagógicos e de acessibilidade para a organização do espaço de atendimento educacional especializado. O objetivo é apoiar a organização e a oferta do Atendimento Educacional Especializado (AEE), prestado de forma complementar ou suplementar aos estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento, e altas habilidades ou superdotação.

Segundo dados do primeiro bimestre de 2014, cerca de 395 alunos são beneficiados pelo programa. Deste total, 27 apresentam surdez ou deficiência auditiva, 33 têm cegueira ou baixa visão, 70 portam deficiências múltiplas ou física, 29 são cadeirantes e 236 têm deficiência intelectual. Além disso, 157 estudantes estão em processo de avaliação para que possam receber o atendimento específico.

A Educação Especializada conta com o trabalho de 52 profissionais específicos, 414 auxiliares de serviços escolares, dois professores de braile, nove intérpretes e quatro professores de libras. De acordo com a coordenadora de Educação Especial,  Regina Signe, a prioridade do trabalho é assegurar condições de acesso, participação e aprendizagem aos alunos que apresentam necessidades especiais.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário