RJ NEWS ONLINE
Cotação
RSS

Instituto de Segurança Pública cria Núcleo de Estudos ISP Mulher

Publicado em 13/02/2021 Editoria: Segurança sem comentários Comente! Imprimir


Violência contra a mulher não é apenas agressão física

Violência contra a mulher não é apenas agressão física

Grupo de trabalho será responsável por monitorar os crimes contra a mulher no Estado e elaborar estudos sobre o tema

O Instituto de Segurança Pública (ISP) do Estado do Rio de Janeiro criou o Núcleo de Estudos ISP Mulher. O grupo de trabalho, formado só por servidoras do Instituto, terá como principal missão subsidiar o Executivo estadual com dados sobre a violência doméstica, que podem ser base para a criação de políticas públicas. O núcleo ainda será responsável por acompanhar os crimes de violência contra a mulher ao longo do tempo e elaborar estudos sobre o tema.

A portaria de criação do ISP Mulher, publicada no Diário Oficial, estabelece que o núcleo poderá fornecer dados e informações policiais não sigilosas para pesquisadores que desejem aprofundar seus estudos sobre a violência contra a mulher. Serão ainda elaborados editais de pesquisa sobre o tema, além da proposição de debates e eventos.

Em nota, a diretora-presidente do ISP, Marcela Ortiz, explicou que o instituto foi o primeiro órgão estadual do país a se debruçar e produzir estatísticas para que a violência contra a mulher seja entendida. “Fazemos isso há 15 anos com o Dossiê Mulher e temos uma tendência quase que natural de inovar nesse sentido. Com o ISP Mulher, esperamos honrar a natureza do instituto, que é fornecer dados de qualidade, com metodologia reconhecida para levantar o debate e ajudar no desenho de saídas para essa chaga da nossa sociedade”, destacou.

Dossiê Mulher
Há 15 anos o ISP divulga o Dossiê Mulher, que tem como fonte os registros de ocorrência da Secretaria de Estado de Polícia Civil, que permitem o entendimento do fenômeno criminal no estado e a construção do perfil das vítimas para a formulação de ações de enfrentamento da violência. O painel é divulgado anualmente pelo órgão. Os números de 2020 ainda não foram divulgados por regiões, mas o Monitor da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher no período de isolamento social, devido à pandemia da Covid-19, aponta que de 13 de março a 31 de dezembro de 2020, em todo o estado, houve queda em relação ao mesmo período de 2019 no número de registros de ocorrências na Polícia Civil. Os dados do Instituto vão contra os dados de outros órgãos, como a Patrulha Maria da Penha, da Guarda Municipal de Rio das Ostras, e do Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, conforme publicado na matéria acima.

Segundo o ISP, o número de ligações para o Disque Denúncia sobre Violência contra Mulher também reduziu 20,3%. Por outro lado, ainda de acordo com o Instituto de Segurança Pública, o 190 da Polícia Militar apresentou aumento na quantidade de ligações sobre crimes contra a mulher, registrando crescimento de 5,8%. O monitor apontou também que o crime de feminicídio, em dezembro de 2020, apresentou estabilidade em relação a novembro do ano passado, mas estes foram os dois meses com maior número de vítimas no ano: 11 em novembro e 10 em dezembro. Na comparação com dezembro de 2019, foram três vítimas a mais em 2020. Já o número de vitimas de tentativa de feminicídio reduziu: de 37 em dezembro de 2019 para 20 em dezembro do ano passado.

› FONTE: RJ NEWS ONLINE (www.rjnewson.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário