RJ NEWS ONLINE
Cotação
RSS

Aumenta a procura por psicólogos durante a pandemia

Publicado em 14/10/2020 Editoria: Saúde sem comentários Comente! Imprimir


Cuidar da saúde mental tem sido a preocupação de muitos brasileiros durante a pandemia da Covid-19. O isolamento social obrigou muitas pessoas a reavaliarem suas vidas, seus comportamentos e o estilo de vida, gerando ansiedade, estresse e depressão. A busca por ajuda profissional aumentou nos últimos meses e dados do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) confirmam o aumento de casos de depressão desde março.

Manter a saúde mental em meio à correria e ao estresse do dia a dia já era uma tarefa difícil para a maioria das pessoas, mas essa situação pode ter ficado ainda mais complicada quando o cenário inverteu. Durante o isolamento social, as pessoas foram obrigadas a dar uma pausa e se readequar a uma nova rotina, o que possivelmente gerou o agravamento de condições da mente de muitos indivíduos, que começaram a manifestar sintomas de estresse, ansiedade e depressão. O Dia Mundial da Saúde Mental, definido pela Organização Mundial da Saúde no dia 10 de outubro, é um alerta nestes tempos de coronavírus para a importância de cuidar da mente.

Um estudo feito pelo Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) apontou que os casos de depressão praticamente dobraram desde o início da quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus. Entre março e abril, dados coletados online indicam que o percentual de pessoas com depressão saltou de 4,2% para 8,0%, enquanto para os quadros de ansiedade o índice foi de 8,7% para 4,9%.

"Ainda existe um preconceito muito grande sobre procurar um psicólogo. Muita gente tem medo de ser chamado de doido, entre outras coisas. Além disso, o tratamento público não é fácil e nem todo mundo tem condições financeiras de arcar com as consultas particulares, mas eu posso dizer que iniciar o acompanhamento psicológico transformou minha vida. Eu sou outra pessoa e recomendo 100%, principalmente neste período de pandemia, me ajudou muito", comentou a paciente Natália Silva.

Apesar desse preconceito, este momento de isolamento pode ter sido um divisor de águas para muitas pessoas, que entenderam que cuidar da saúde mental é tão importante quando cuidar da saúde física. O psicólogo Felipe Macedo afirmou que percebeu um aumento considerável no interesse das pessoas em buscarem ajuda psicológica, durante o período de pandemia.

"Tudo começou meio que "do nada", quando todos os planos que estavam sendo projetados em relação ao futuro se perderam. E esse ‘perder’ fez com que a gente precisasse se redescobrir. Esse ‘perder’ mostrou o quanto somos carentes de saúde mental. Buscar ajuda psicológica está sendo essencial. Já era antes, mas agora mais do que nunca. Procurar ajuda psicológica é a mesma coisa que ir ao médico para tratar de algo físico que incomoda. Se você sente dor nas costas, você vai ao ortopedista, se tem alguma mancha na pele, ao dermatologista. Então por que não procurar um psicólogo quando o psicológico está afetado?", questionou.

O especialista disse ainda que as incertezas foram muitas, mas que é possível enxergar este momento de outra forma.

"As incertezas sobre o futuro são muitas: vai ter emprego ou não; quem tem emprego se vai continuar ou não; quem perdeu quer sair para procurar, mas corre o risco de contrair a Covid-19 e colocar a vida em risco. Mas o que mais chamou a atenção foi que a procura se deu por questões mais internas do que a questão global relacionado à pandemia. As pessoas estão se voltando mais para dentro de si e percebendo questões que precisam ser tratadas. A pandemia, trazendo a quarentena, o distanciamento social, aumentou a procura, justamente por além da saúde física, precisamos mais do que nunca está com a saúde mental em dia", frisou.

Vale lembrar que a ajuda de um psicólogo pode ser importante em qualquer momento da vida. "O psicólogo não diz o que devemos fazer, muitos pacientes começam e desistem justamente por não acharem que está sendo produtivo. Porém, o trabalho do psicólogo é fazer um mapeamento junto com o paciente: ver onde são encontrados os pontos fracos, fortes, onde é necessário melhorar e manter. No processo, o psicólogo vai apontar todos os caminhos que o paciente pode seguir, mostrando todos os prós e contras de cada caminho, porém é escolha da pessoa seguir e o papel do psicólogo é apoiar essas escolhas.  Nesse sentido, as pessoas que acabam tendo um mal estar relacionado à saúde mental, acabam procurando um psiquiatra, como se a medicação fosse resolver. A medicação diminui os sintomas, mas não trata o que causa os sintomas. Lembrando que o trabalho do psicólogo é preventivo. O profissional sabe a hora exata de encaminhar ao psiquiatra", lembrou Felipe Macedo.

Brasileiros buscam respostas no mundo virtual
Nunca o brasileiro buscou tanto por termos relacionados a transtornos mentais quanto durante a pandemia. Dados inéditos fornecidos pelo Google ao jornal Estado de São Paulo (Estadão) apontam alta de 98% nas buscas sobre o tema em 2020, ante a média verificada nos dez anos anteriores. A pergunta "como lidar com a ansiedade", por exemplo, bateu recorde de interesse da última década. Em relação a 2019, o crescimento foi de 33%. Entre as três perguntas mais buscadas em 2020 com a expressão "como lidar", duas estão relacionadas a ansiedade e depressão. Bateu recorde também o interesse dos brasileiros pelo questionamento do que é a felicidade.

› FONTE: RJ News


sem comentários

Deixe o seu comentário