RJ NEWS ONLINE
Cotação
RSS

Estudantes se preparam para o Enem e demais vestibulares

Publicado em 16/05/2014 Editoria: Educação sem comentários Comente! Imprimir


Maioria dos professores que trabalham com o pré-vestibular ressaltam que o segredo para o êxito, está na organização

Maioria dos professores que trabalham com o pré-vestibular ressaltam que o segredo para o êxito, está na organização

Professores apontam a antecipação e a organização dos estudos como ferramentas para o êxito

Nesse período do ano, começam a abrir as inscrições para o processo seletivo das mais importantes univer- sidades do país, em destaque o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), aplicado pelo Ministério da Educação por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) e que desde 2009 vem sendo adotado, cada vez mais, como um sistema único de seleção de candidatos para cursos superiores e de nível técnico por todo o país. Para aqueles que almejam uma vaga nas disputadas instituições públicas de ensino, esse é o momento de se concentrar e se empenhar ainda mais para que seus objetivos se concretizem.
 
Em meio a enorme quantidade de conteúdos que devem ser vistos e revisados, somado a diversas possibilidades de estudo que o acesso à internet proporciona, fora a grande cobrança emocional e o stress, é comum que os vestibulandos, principalmente aqueles que passam pela experiência pela primeira vez, se atrapalhem nessa fase de estudo, mesmo depois de terem se preparado desde o início do semestre, ou até mesmo antes, o que é sempre recomendado como o ideal. Além da preparação antecipada , a maioria dos professores que trabalham com o pré-vestibular ressaltam que o segredo para o êxito, está na organização.
 
Segundo a diretora de um curso preparatório em Rio das Ostras, Penha Alves, todo o conteúdo do terceiro ano do ensino médio é voltado para o vestibular e as provas intercalam sempre questões de avaliações passadas, pois é importante o candidato estar acostumado com a linguagem. Exigindo um conhecimento interdisciplinar cada vez maior, principalmente por conta do ENEM, ela ressalta a relevância do treinamento para as avaliações com o acompanhamento de professores especializados. “Com grande concorrência em um nível cada vez mais neralizado, como é o caso do ENEM, o candidato precisa de uma orientação para não se perder em seus próprios estudos, e às vezes estar em um ambiente que o incentive ao estudo, junto a outras pessoas que estão na mesma situação” afirma.
 
“Em vestibulares mais longos, tal como o ENEM, que é dividido em duas longas provas que englobam diversas disciplinas além da redação, é preciso ter muita organização, saber priorizar as questões que são mais importantes e que se tem maior facilidade, e também não se deixar levar pelo nervosismo na hora da avaliação” explica o professor de geografia do curso, Sérgio Augusto. Ele também destaca que o estudante não deve levar os estudos como uma obrigação, mas sim como algo prazeroso e que será benéfico para a sua própria carreira. “É preciso esclarecer que o vestibular exige sim muita atenção e dedicação, mas os momentos de lazer e descontração não podem ser deixados de lado. Deve-se tomar cuidado com os excessos, separar algumas horas do dia para os estudos e fazer um planejamento por divisões de conteúdos”, recomenda Sérgio.
 
O estudante Philip Vazques, que vai concorrer a uma vaga na UFRJ no curso de desenho industrial, diz estar se empenhando desde o inicio do ano para na véspera das provas, apenas revisar o conteúdo. Ele ressalta a importância de um curso superior em meio a uma demanda por mão de obra cada vez mais especializada, assim também como cursos técnicos, como complementação da capacitação profissional.
 
A professora de matemática Tatiane Holanda destaca que tal como os cursos de Engenharia, a procura pelos cursos técnicos na região, têm sido cada vez maior, principalmente por conta das oportunidades de empregos do setor de Petróleo e Gás em Macaé, o que proporciona uma concorrência ainda maior. “No Enem, por exemplo, a pontuação total necessária para conseguir entrar nesses cursos beira os 850 e 900 pontos, bem mais do que os 700 pontos que geralmente são exigidos para cursos de licenciatura”, afirma. Com relação ao uso da internet como ferramenta de estudo para o vestibular, Tatiane alerta para alguns cuidados que devem ser tomados, principalmente com as fontes de informações nem sempre confiáveis e para que a linguagem informal utilizada nas redes sociais não influencie a redação e no desenvolvimento de questões discursivas.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário