RJ NEWS ONLINE
Cotação
RSS

Seca causa consequências graves e reduz produção de leite na região

Publicado em 17/04/2014 Editoria: Economia sem comentários Comente! Imprimir


Com a redução no volume de derivados, o jeito foi relocar os funcionários dentro da Cooperativa, para evitar demissão

Com a redução no volume de derivados, o jeito foi relocar os funcionários dentro da Cooperativa, para evitar demissão

O clima seco dos úl­timos meses não faz mal apenas à saúde das pes­soas, como se pode ver nas filas dos Postos de Saúde e emergências dos Hospi­tais na região. No campo, a seca arrasa as pastagens e provoca queda na produção de leite, problema que vem afetando direta e indireta­mente a linha de laticínios. Além de Macaé, cidades produtoras como Carape­bus, Rio das Ostras, Casimi­ro de Abreu e até Quissamã amargam uma queda brusca por conta da estiagem, pro­blema que vem causando sérios prejuízos a Coopera­tiva de Laticínios de Macaé.

Nem a chuva que caiu nos últimos dias ajudou a espantar o fantasma da seca. José Carlos Guilherme, está a pouco mais de cinco meses prestando serviço de Super­visor Geral na Produção, e conta que o objetivo é elevar a demanda na Cooperati­va de Laticínios de Macaé. “Essa seca nos deu um pre­juízo grande. Para darmos conta dos litros que leite que entregamos ao comércio em geral, diminuímos a produ­ção de derivados como é o caso dos queijos. Antes era fabricado por dia cerca de 2 mil peças. Hoje esse vo­lume caiu para 1.600, ou seja, queijo Padrão (200 unidades), frescal (1.300 unidades) e ricota (100 uni­dades)”, disse.

Com a redução no vo­lume de derivados, o jeito foi relocar os funcionários dentro da Cooperativa, para evitar demissão. Atualmen­te cerca de 30 funcionários trabalham no local. Eles estão divididos entre moto­ristas, pessoal de apoio, au­xiliares e administração atu­ando diariamente. De acor­do com o contador Luiz Pe­reira, o volume na produção caiu consideravelmente em relação aos anos anteriores. Em 2001, a cidade produzia cerca de 30 mil litros de leite por dia. Esse volume chega em 2014 com 15 mil litros por dia, ou seja, foi reduzido pela metade se comparado aos anos anteriores.

A estiagem, que chegou de surpresa na região desde o ano passado, é o principal fator e o responsável pela queda. Por enquanto, Luiz considera que a produção está sendo bem afetada e diz estar preocupado, pois não sabe até quando esse perío­do vai. “O pasto secou e os animais já começam a sentir as altas temperaturas. Essa seca aliada ao êxodo rural fez com que Macaé tivesse uma queda considerada na produção de litro de leite. Pode ser que com a chuva que caiu melhore, mas tenho certeza, isso será em pouco tempo”, completa.

Em 2001, o número de produtores rurais alcançava a marca de 170 em Macaé, contando com a região de abrangência. Atualmente esse número chega apenas a 94 produtores e uma média de oito mil litros de leite por dia. “Nossa Cooperativa tem apenas R$ 0,10 de lucro so­bre cada litro de leite vendi­do. Já o produtor recebe R$ 1. Se o consumidor comprar o leite aqui ele vai pagar R$ 2 por litro no varejo. Já no atacado o litro sai a R$ 1,40. Pretendemos fazer investi­mentos e com isso crescer a produção, incentivando os produtores rurais da cidade e região”, reforçou.

Em contrapartida, Luiz lembra que o Governo Es­tadual deu a pouco mais de cinco anos incentivos de 12,28% no Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços – ICMS, o que vem também colaborando com a produ­ção na região. “Esse ano o prefeito Dr. Aluízio também procurou a direção da Coo­perativa para realizar parce­ria destacando o desenvolvi­mento de projetos e incen­tivos na área. Acredito que trará bons frutos para nossa cidade”, acredita.

A Cooperativa de La­ticínios de Macaé divide a produção entre queijos, re­queijão, iogurte, leite em saco, queijo mussarela e manteiga. “Nosso produto é de altíssima qualidade e isso eu garanto. Fazemos tudo dentro dos reparos ne­cessários. Mesmo depois de termos amargado prejuízos com a CCPL e Parmalat, aos poucos estamos conseguin­do erguer a Cooperativa”, finalizou.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário