RJ NEWS ONLINE
Cotação
RSS

Solenidade lembra os 148 anos de nascimento de Euclydes da Cunha

Publicado em 24/01/2014 Editoria: Cultura sem comentários Comente! Imprimir


Para marcar os 148 anos de nascimento do escritor Euclydes da Cunha, que nasceu em Cantagalo, em 20 de janeiro de 1866, a Secretaria Municipal de Cultura promoveu, no último dia 20 de janeiro, uma solenidade que reuniu diversos convidados, além da comunidade, na Praça João XXIII, no Centro da cidade, onde está implantada uma herma do escritor, que ganhou notoriedade no mundo inteiro pela obra ‘Os Sertões’, lançada em 1902, embora também seja autor de outras importantes obras, como ‘Peru versus Bolívia’, ‘À Margem da História’, ‘Contrastes e Confrontos’, além de ter deixado uma caderneta de poesias intitulada ‘Ondas’.

Entre os convidados, alguns falaram durante o evento. O gestor do Ponto de Cultura Os Serões do Seu Euclides, Rick Azevedo da Cunha, chamou a atenção para a necessidade de tornar Euclydes da Cunha acessível aos mais jovens, trabalho que já vem sendo feito pelos grupos jovens do município, que inclui estudiosos, admiradores, professores e escritores. Na mesma linha de raciocínio, falou Matheus Lucas de Arruda Câmara, da Juventude Euclidiana.

A presidente da delegacia da UBT (União Brasileira de Trovadores) em Cantagalo, Ruth Farah Nacif Lutterback chamou a atenção para a imortalidade das obras do ilustre filho de Cantagalo e também convidou a todos para a décima edição dos Jogos Florais de Cantagalo (concurso de trovas de nível nacional), que, este ano, de forma excepcional, será realizado em março, durante os festejos pelos 200 anos de emancipação de Cantagalo. Os temas serão ‘Bicentenário’, ‘200 Anos’ e, na área humorística, ‘Galo’.

Alex Vieitas, presidente do Grupo Euclidiano de Atividades Culturais (Geac), aproveitou a oportunidade para lembrar que a Casa de Cultura de Euclydes da Cunha está fechada há quase um ano e que alguma coisa precisa ser feita. O mesmo foi dito pela ex-diretora da casa, Fany Pinheiro Teixeira Abrahim. A Casa de Euclydes da Cunha é um museu dedicado ao escritor e que conta um pouco da vida e da obra de Euclydes da Cunha, além de conservar objetos pessoais e, o mais importante, o cérebro embalsamado do escritor.

Por último, a secretária interina de Cultura, Ana Paula Giron, esclareceu alguns pontos sobre o fechamento do museu, que não pertence ao município, mas ao Governo do Estado. Segundo ela, o processo de municipalização do local está completando dez anos e nunca teve uma solução definitiva por parte da Secretaria de Estado de Cultura. “Somente agora, na nossa gestão, é que o Estado realmente acenou com a possibilidade de entregar a Casa de Euclydes da Cunha à Prefeitura, mas a burocracia é tão grande que o museu foi fechado, equipes e equipes visitam o local para inventariar tudo que lá existe, uma montanha de papel é produzida, reuniões e mais reuniões são realizadas, tanto no Rio de Janeiro quanto aqui, e não se chega a um denominador”, explicou Ana Paula.

De acordo com a secretária, a Prefeitura quer assumir o museu, até porque o próprio Estado disse que, caso contrário, fechará a Casa de Euclydes da Cunha para sempre. “Não podemos deixar que isso ocorra, tanto que o prefeito Saulo Gouvea (PT) disse, na hora, que assume a casa, só que isso não pode ser feito sem que o Governo do Estado conclua o inventário e oficialize, em documento, a municipalização. Nós não podemos, mesmo que queiramos muito, entrar e assumir o museu simplesmente porque ele está fechado. Agora, como o município completa 200 anos em março, gostaríamos muito de incluir a Casa de Euclydes da Cunha no nosso roteiro cultural durante o evento. Esta está sendo mais um argumento que estamos usando para convencer a Secretaria de Estado de Cultura a acelerar a entrega da casa ao município. Esperamos obter êxito nessa empreitada antes de março”, informou Ana Paula Giron.

Finalizando, a secretária de Cultura também falou sobre a proposta de implantação de uma Semana Euclidiana na cidade, seguindo os padrões da que é realizada na cidade de São José do Rio Pardo (SP). Aproveitando que Alex Vieitas havia lembrado os 150 anos de nascimento de Euclydes da Cunha, em 2016, Ana Paula Giron convidou os euclidianistas a sentar a discutir, com o Governo Municipal, a criação desse evento cultural. “Estamos à disposição, queremos implantar esse evento, mas precisamos começar agora, pois o tempo urge e, no serviço público, estamos cercados da burocracia, dependendo de tempo para resolver as coisas. Para isso, se não conseguirmos realizar o evento este ano, poderíamos planejar para 2015, numa espécie de ensaio, para que possamos promover um megaevento em 2016 e, assim, todos os anos”, prometeu. O grupo ficou de se reunir com a secretária para discutir detalhes sobre o assunto. As homenagens foram encerradas com um canto de “parabéns pra você” e uma salva de palmas para o escritor.

› FONTE: Macaé News (www.macaenews.com.br)


sem comentários

Deixe o seu comentário